A recente moda das cartas do Presidente do CNRT não é de agora. Não precisamos recuar aos tempos da prisão de Cipinang para obter da escrita de Xanana Gusmão verdadeiras pérolas da língua oficial timorense e também verdadeiros tratados de ciência política, obras da mais ilustrativa hipocrisia, populismo e demagogia politica do herói libertador e combatente de outros tempos ao herói com pés de barro do presente.

Deixemos de lado a carta à Emilia e, fiquemo-nos apenas pela peça de retórica e verborreia política recentemente enviada à primeira figura da Nação, ao Presidente Lu Olo, uma vez mais, com o sarcasmo que lhe é conhecido, ao nível da “Arte da Guerra” de Maquiavel, começando desde logo por manifestar preocupação com o estado psicológico do Presidente.

Tratando-se de uma graçola provocatória já repetida e felizmente sem qualquer aplicabilidade ao destinatário, acaba ela própria por ser mais reveladora do estado psicológico do Presidente do CNRT, a merecer atenção e quiçá uma consulta de diagnóstico num especialista internacional, diferente claro, daqueles que reza a má língua, afirmam que frequenta em trânsito por Bali. 

É que dizer-se uma coisa hoje e o seu contrário amanhã, apontar o dedo ao adversário pela assinatura do contrato do barco para o Oé-Cusse quando foi ele que o assinou ou, querer criminalizar erros dos outrém quando atrás de si arrasta centenas de casos e outros senão piores pelo menos iguais, é sinal de que já existe, além do ódio cego e inveja destrutiva ao irmão Mari Alkatiri, uma enorme descompensação psicológica a merecer cuidado e atenção. 

E, aqui sim, sem ironia, aconselho seriamente o camarada Xanana Gusmão a lembrar-se da idade que tem, que o álcool, o stress e o cigarro que não o larga, entre outros vícios e maus hábitos, são péssimas companhias e não ajudam na saúde física e mental.

Deixemos então a forma e vamos ao conteúdo. E logo aqui, uma questão se coloca. Será que Xanana Gusmão já não tem o contacto telefónico de Lu Olo, não o consegue visitar e discutir os problemas olhos nos olhos ou, tem e não o quer fazer pelas razões que ele próprio conhece e que todos nós imaginamos? E, porque o faz, afrontando o Presidente, quando sabe que o PM Taur semanalmente se reúne com o PR Lu Olo e que no VIII Governo há ministros que são da 2ª linha do CNRT?

O CNRT está hoje mais sem rumo e fragmentado sendo a 1ª linha a de Xanana e dos seus apaniguados Kalbuady e companhia, a 2ª a linha dos contestatários intelectuais do CNRT onde se encaixa Dionísio Babo e Ágio e a 3ª a linha que não conta para nada, a da mediocridade da representatividade parlamentar do CNRT com a figura cómica trágica da 4ª classe do “Dr Arão” na liderança e, por isso, sabendo Xanana que esta coligação não durará muito mais e que, em breve haverá de novo eleições, começa já, com estas célebres cartas, a estratégia de guerrilha para tentar de novo o que nunca conseguiu, dividir a Fretilin.

Por fim, como consegue Xanana enviar cópia da Auditoria ao PR Lu Olo antes mesmo de ela ser publicada e tornada pública no site oficial do Tribunal? Há um Estado dentro do Estado? O Estado da Justiça e o Estado a que isto chegou?!

Que a relação de Xanana com a Justiça sempre conheceu momentos de verdadeiro conluio ou de total desprezo consoante o interesse pessoal do momento já se sabe mas, que para além disso, ainda seja conivente com os seus interesses políticos é que se apresenta como mais uma infeliz certeza. 

Cabe agora aos órgãos da Nação, Parlamento e Ministério Público mandar averiguar porquê, como e quem facilitou o acesso e a fuga de informação do Tribunal para o gabinete do Presidente do CNRT. O Parlamento deve constituir uma comissão de inquérito e averiguar do segredo de Justiça e aplicar igual critério na análise das auditorias a RAEOA e às muitas outras feitas ao V e VI Governo sem que disso tivesse resultado qualquer processo criminal ou de responsabilização política. E nisto há no mínimo um responsável, o então PM e o Ministro do Planeamento e Investimento Estratégico! 

O País e o povo ainda querem acreditar na Justiça porque nas cartas de Xanana Gusmão, já só acreditaquem quer, por muito floreado e poesia com que as pinta! 

O povo está desnorteado, perdido no limbo do amor pela sua pátria, na decepção por tanta roubalheira de políticos e numa identidade que parece não se afirmar perante o mundo e nisto, temos que agradecer a “Sua Excelência o Presidente do CNRT, pela maneira, não só simpática, como contundente, como nos está a ensinar a interpretar as situações que envolvem a construção do Estado, de que Sua Excelência de forma magnifica, está a representar perante nós, vulgares cidadãos de Timor-Leste que votaram em si”.

Hakerek nain hosi: Eusebio Corsino Araujo (Mau Laka CASCOL)

email: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.

numero HP: 77298888 (BT)